Orientações e Recomendações acerca do Coronavírus e COVID-19

Brasília-DF, 26 de março de 2020.

Às
Igrejas Batista Nacionais e suas respectivas Congregações
Ref.: RECOMENDAÇÕES – PANDEMIA CORONAVÍRUS/COVID-19 E ORIENTAÇÕES ACERCA DO DECRETO PRESIDENCIAL 10.292/2020

Diante da controvérsia causada pela manifestação do Sr. Presidente da República acerca das consequências econômicas da política de isolamento social adotada por governadores e prefeitos, e a publicação de um decreto lei em 25.03.2020, declarando essenciais os serviços religiosos, em tempo de templos fechados e cultos suspensos por decretos estaduais e municipais, a diretoria da CBN apresenta palavra pastoral, aconselhando pastores e líderes e congregados:

Diante de Deus, de Cristo Jesus e dos anjos eleitos, peço com insistência que você guarde estes conselhos, sem discriminação, nada fazendo com espírito de parcialidade. Não tenha pressa para impor as mãos sobre alguém. Não seja cúmplice dos pecados dos outros. Conserve-se puro. 1Tm 5.21,22. NAA

Paulo escreveu a Timóteo pensando na questão vital para as igrejas daquele tempo: cuidado e disciplina dos líderes. Essa foi a principal tarefa delegada aos representantes do apóstolo nas comunidades de fé gentílicas sob sua responsabilidade pastoral. Timóteo e Tito deveriam escolher bem os líderes e garantir que fossem respeitados e honrados. Em tempos de crise como esse, precisamos de homens e mulheres assim: íntegros e integralmente comprometidos com Deus, com a mensagem do evangelho e com a igreja de Jesus Cristo, fruto da graça e da atuação do Espírito Santo.

Em tempos de muita polêmica e pouco diálogo, sobre temas que não dominamos claramente, em esferas de poder e competências que não nos dizem respeito, não devemos ser partidários ou delegar “autoridade espiritual” precipitadamente a qualquer pessoa. Oramos pelas autoridades, mas não as temos por infalíveis, posto que humanos. Os discípulos de Jesus, Senhor de todos, mesmo assim, manso e humilde, não oferecem apoio irrestrito a ninguém. As autoridades devem renunciar a soberba, a arrogância, a hipocrisia, a inimizade e a discórdia se desejarem sinceramente nosso apoio cidadão. Somos eleitores conscientes, não curral eleitoral ou massa de manobra.

Aos pastores e líderes batistas nacionais dizemos: servimos prioritariamente ao corpo de Cristo; respondemos a Deus e ao povo que reconheceu em nós a vocação pastoral, nos investiu de autoridade sobre eles, e aguarda palavra de orientação sensata e piedosa. Conservemos a consciência pura e não nos tornemos partícipes dos pecados dos outros.
Recomendamos aos profetas do Deus Vivo manter-se fora do jogo político e da guerra de desinformação experimentada nos últimos dias. Não se faz política pública como quem joga dados, enquanto a vida de pessoas está no tabuleiro. Não se dirige uma nação alimentando a fogueira das vaidades nas redes sociais. Conhecimento e sabedoria são dons de Deus e devem ser usados em tempos de crise.

Há perguntas sem respostas claras: Há interesses ocultos nos decretos presidenciais? A quem interessa a declaração do serviço religioso como essencial? Mercadores da fé estariam por trás dessa pressão para liberar cultos e voltar a vender milagres? É sensato, à luz dos fatos ocorridos na Itália e Espanha, reunir pessoas em templos? Se depois de um culto e declarações enfáticas de fé ousada, diversos irmãos desenvolverem a doença e, alguns, levarem contaminação para idosos em casa, qual será o sermão pregado no domingo seguinte? Deus quis? Deus está no controle? Chegou a hora deles? Estão melhor que nós? No céu não há sofrimento?
Muitas de nossas igrejas estão em grandes centros urbanos com probabilidade de muitos casos de contaminação da COVID-19. Hospitais de campanha estão sendo preparados e não à toa. Outras estão em pequenas cidades e até povoados, onde as ambulâncias são o principal meio de acesso ao serviço de saúde pública. Não devemos subestimar a capacidade de proliferação do vírus, ou nos deixarmos enganar pela baixa letalidade. Toda vida é preciosa, e devemos proteger os mais frágeis.

A CBN recomenda que pastores e líderes sigam as orientações de prefeitos e governadores, observando criteriosamente normas de atividade e isolamento social propostas em sua localidade. Não abram seus templos para culto enquanto não for seguro para todos. Estimule o isolamento social, e faça vigorosamente nas regiões em que houver aumento do número de casos. Use a tecnologia para alimentar a fé, a esperança e o amor, mesmo a distância. Acompanhe os casos de COVID-19 em sua região, mantendo a sua comunidade informada, tranquila e atenta no cuidado solidário com idosos, os fragilizados e os afetados economicamente pela pandemia. Sirvam a paz e pratiquem o amor em palavras e obras.

Estamos cientes que a vida das pessoas inclui as preocupações econômicas. Jesus falou muito sobre dinheiro e seu uso. Vamos orientar a prudência, o orçamento familiar, estimular a solidariedade. Nosso ambiente cotidiano é a microeconomia. Disso entendemos. Vamos mobilizar pequenas ações que gerem emprego e renda, incentivar empreendedorismo social, redistribuir recursos e assistir os menos favorecidos.

A macroeconomia cabe ao governo e implica uma grande rede de interesses: banqueiros, grandes investidores, fundos de pensão, empresas locais e multinacionais... Também nos afeta, mas sobre isso temos pouco poder de ação. Entramos nessa frente principalmente com oração por aqueles que têm poder de formular políticas justas e benéficas para a população.

Oremos pela paz e diálogo produtivo entre as autoridades. Oremos por nós mesmos, para termos a sagacidade da serpente, a simplicidade das pombas e amor de Cristo no coração.

Em Cristo Jesus,

Pr. Jesus Aparecido dos Santos
Presidente da CBN

Pr. Esdras Dias de Sousa Ferreira
Secretário Executivo

DIRETORIA CBN - BIÊNIO 2019/2021


 Brasília-DF, 19 de março de 2020.

Às
Igrejas Batista Nacionais e suas respectivas Congregações
Ref.: RECOMENDAÇÕES – PANDEMIA CORONAVÍRUS/COVID-19

Graça, Paz e Misericórdia!

A diretoria da Convenção Batista Nacional, ciente do regime de governo congregacional autônomo, no cumprimento do seu dever de orientar e promover a unidade das igrejas e congregações,

RECOMENDA

A suspensão dos cultos nos templos, por tempo indeterminado. O Estado de Calamidade Pública, aprovado pelo Congresso Nacional estabelece poderes para restringir qualquer atividade que ofereça risco a saúde pública, inclusive a de culto, sobre risco de enquadramento no Art. 268 do Código Penal.

A observação das restrições de mobilidade e reunião propostas nas orientações emanadas do Ministério da Saúde, governos estaduais e municipais, visando o isolamento social como meio eficaz para conter a propagação da COVID-19;

Cancelamento de festas, eventos, treinamentos, viagens missionárias e outros que promovam ajuntamento, previstos para abril, maio e junho, diante da incerteza do período vigente das restrições impostas.

ESTRATÉGIAS ALTERNATIVAS

Retorno à prática do culto doméstico. A igreja poderá elaborar sugestões de liturgia, leitura e motivos de oração, visando fortalecer a comunhão e a fé em tempos de crise;

Movimentos de oração e compartilhamento de mensagens escritas ou pequenos vídeos;

Transmissão de “culto” a partir do templo, sem a presença de público.

OUTROS CUIDADOS

Manter permanente fluxo de informação, conscientizando os membros a reduzir o contato pessoal para evitar propagação da doença.
Acompanhar a comunicação dos grupos relacionados aos ministérios da igreja nas redes sociais, coibindo as notícias falsas e alarmismo improdutivo.

As finanças das igrejas poderão sofrer abalo. Aumento do desemprego, baixa atividade econômica, fechamento do comércio e ausência dos cultos contribuirão para menor arrecadação. Por sua vez, mais pessoas precisarão de ajuda e as necessidades aumentarão. Igrejas poderão encorajar os membros a transferir/depositar dízimos e ofertas diretamente na conta bancária da igreja. Zelo em tempo de recursos escassos.

UM CHAMADO A REFLEXÃO E A ORAÇÃO

O momento difícil há de trazer mudanças para o bem. As Escrituras estão repletas de exemplo. O tempo de recolhimento, menos ativismo, maior tempo com a família, mais oração, introspecção podem fazer bem a alguns. Um tempo com os livros e o Livro há de trazer um sopro do Espírito nas casas.

O cuidado com os idosos será outro aprendizado importante para todos, assim como a preocupação com as pessoas de saúde frágil.

Os cuidados com saúde e higiene serão repensados, assim como os investimentos públicos em saneamento básico.

A igreja tem a grande oportunidade de ser povo fora do templo.
O povo tem a oportunidade de ser templo.

Em Cristo Jesus,

Pr. Jesus Aparecido dos Santos
Presidente da CBN

Pr. Esdras Dias de Sousa Ferreira
Secretário Executivo

DIRETORIA CBN - BIÊNIO 2019/2021


  Brasília-DF, 17 de março de 2020.

A CBN, representada por seu Secretário Geral de Administração, Pr. Esdras Ferreira, e as lideranças de vários segmentos cristãos, estiveram reunidos ontem, 16/03, com a Ministra Damares Alves - Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos - em Brasília para tratarem de assuntos pertinentes a crise de saúde pública que vivenciamos.

A ministra solicitou o apoio das lideranças religiosas na divulgação de informações acerca da prevenção ao CORONAVÍRUS/COVID-19. Assim, a CBN orienta o seguinte as suas lideranças:

  1. Redução da quantidade de cultos e reuniões;
  2. Realização de cultos em horários distintos, de modo a reduzir o número de participantes (para as igrejas com grande quantidade de membros);
  3. Se possível, realizar reuniões e cultos ao ar livre;
  4. Se possível, transmitir os cultos e reuniões via internet;
  5. Se possível, cancelar todas as reuniões, assembleias, congressos e acampamentos;
  6. Observar as recomendações de higienização e afastamento. Participantes nas reuniões devem permanecer afastados a uma distância mínima de 1,50m e ainda as bancadas devem estar dispostas de forma alternada (assentos livres entre as fileiras);
  7. Não se tocar com apertos de mãos ou abraços;
  8. A limpeza deve se ampla, ou seja, os móveis, instrumentos e elementos de culto devem ser todos higienizados com álcool 70 inpm, incluindo as áreas extra-templo (administração, lanchonetes e salas anexas);
  9. Dar atenção especial aos grupos de risco: idosos (60 anos acima), portadores de neoplasias,doenças pulmonares e diabetes, solicitando a estes que não compareçam às reuniões;
  10. Evitar visitas aos doentes. Dar preferência ao atendimento via telefone e/ou redes sociais;
  11. Evitar visitas a presídios, casas de recuperação, unidades sócio-educativas e asilos;
  12. Evitar visitas a povos indígenas, caso a denominação realize trabalhos junto a estes;
  13. Ter como fonte de dados confiáveis apenas o Ministério da SaúdeAssim, iremos combater falsas informações - fake news. Antes de divulgar qualquer informação, verifique se a mesma não é falsa. O Ministério da Saúde tem um site de combate as fakes news. Clique aqui para acessar;
  14. Observar e divulgar as informações acerca do coronavírus, disponíveis no página do Ministério da Saúde
  15. Se possível, utilizar libras na comunicação das informações;
  16. Fomentar campanhas de orietanção e prevenção que abranjam toda a denominação.

Fomos incentivados a criar cadastro de profissionais de saúde (médicos, enfermeiros, técnicos em enfermagem, dentistas…), de preferência aposentados, para possível prestação de serviço voluntário. Se você é profissional de saúde e deseja se cadastrar, clique aqui.

Fomos orientados a incentivar a vacinação contra o influenza (causador da gripe) que ocorrerá a partir do dia 23 de março - não confundir com vacinação contra o CORONAVÍRUS/COVID-19, pois até o momento essa não existe . Se necessário, realizar trabalho de transporte dos idosos até aos locais de vacinação, bem como colocar os templos à disposição dos serviços de saúde para que o alcance da vacinação seja maior. Para maiores informações, clique aqui.

A CBN está junto às autoridades de saúde pública na guerra contra o CORONAVÍRUS/COVID-19.

A CBN conclama ao povo batista nacional a fazer parte deste esforço, por meio da tomada de medidas de precaução e atenção às orientações das autoridades. Evangelizemos pelo exemplo.

A CBN conclama ainda à oração para que o Senhor que cura todas as enfermidades venha agir neste momento de angústia, dor e luto.

Que Deus derrame suas misericórdias sobre nós.