• Institucional

TEMPO DE RESTAURAÇÃO


Há um clamor do coração por pureza, por santidade, por autenticidade, por um culto verdadeiro. O salmista expressa muito bem esse desejo no Salmo 42.1, 2: "Como suspira a corsa pelas correntes das águas, assim por Ti, ó Deus, suspira a minha alma. A minha alma tem sede de Deus, do Deus vivo".

A primeira informação preciosa em 1Reis 18 é a promessa de Deus para o povo: "VAI CHOVER". Era a maior necessidade do momento, pois o povo estava morrendo por falta de água. Esta palavra é transmitida ao projeto Elias, que discerne a causa da falta de água.

Enganaram-se aqueles, quando pensaram que o único problema da falta de água era a falta de chuva. O rei Acabe usou seu mordomo Obadias para ir por toda a terra conseguir água, não para cuidar do povo, mas para salvar os animeis (v.5) A causa principal da falta da chuva era o pecado da idolatria:trocaram o Senhor Deus dos Exércitos por Baal. Baal não é Deus.

É bom lembrar alguns princípios que aprendemos no confronto do profeta Elias com os profetas de Baal e que são importantes para a vitória hoje.


RESTAURAÇÃO DO ALTO


A primeira tarefa do profeta Elias foi restaurar o altar do Senhor, que estava em reinas. Sem comunhão com Deus não há chuva, não há bênção, não há vitória. Equivale dizer: restaurar a adoração, que é restaurar o coração. Deus quer restaurar o coração. Sem coração restaurado, não há adoração em Espírito e em verdade. Não havendo adoração,
também não há serviço autêntico para o Senhor Deus.


Precisamos perguntar hoje: A quem somos fiéis e a quem estamos servindo? Fomos ensinados e acostumados a fazer coisas e as fazemos muitas vezes com maestria, vez por outra com sucesso e, também outras vezes com decepção. Será que fazemos o que é preciso, e o de que precisamos é realmente necessário? E Deus? Elias, ao restaurar o altar, restaurou o foco da fé do povo para Deus. Devemos trabalhar em nome de Deus, é claro, mas não podemos nos esquecer de trabalhar para Deus. Não podemos perder o foco em Deus e para Deus. Nós não somos o foco, somos apenas servos do Senhor Jesus Cristo.


RESTAURAÇÃO DA UNIDADE


Elias tomou doze pedras, segundo o número das tribos de Israel. Com aquelas pedras edificou o altar, em nome do Senhor. Deus não dará vitória a uma parte isolada do corpo. O pé sozinho não vencerá, para não dizer à mão: "não preciso de ti". É necessário viver e trabalhar a unidade do corpo.


A questão hoje é que não estamos dispostos a pagar o preço da unidade. Falamos em unidade, discutimos a unidade e até queremos a unidade. Entretanto, precisamos entender que a unidade tem preço, e não é baixo não. Se o fosse, já existiria unidade plena. Mas o individualismo, o radicalismo, o orgulho, a vaidade, a arrogância impedem o fluir da unidade no poder da oração de Jesus (João 17).


Quando o profeta Elias restaurou o altar, colocou a lenha, o novilho, a água e, no devido tempo, orou a Deus, o Senhor respondeu com fogo do céu. "O que vendo todo povo, caiu de rosto em terra e disse: O Senhor é Deus! O Senhor é Deus!" Precisamos estar unidos para o Senhor mandar fogo do céu.


Pacto Renovado Batista Nacional


Derramar uma nova unção do caráter de Cristo. Unção da visão profética e unção da Palavra profética.
O Novo Pacto Batista Nacional (de perdão, sobre a nossa conduta, administração e quanto ao futuro), firmado em Brasília no mês de abril de 2001 pelo Conplex (liderança nacional), propõe a cura dos corações e a restauração da unidade batista nacional, bem como oferece os caminhos pelos quais podemos redirecionar nossos Elementos Fundamentais para cumprir a Grande Comissão do Senhor Jesus.


É preciso crer que vai chover. Vai chover verdade, santidade, pureza, respeito, unidade, fidelidade, lealdade e confiança. Só assim haverá abundantes chuvas sobre a terra de corações empedernidos pelo pecado, mas ansiosos por água, por refrigério, por salvação, por libertação.


Querido irmão, desafio você a crer que Deus é maior que as nossas diferenças e impossibilidades. E a trabalhar um novo tempo em prol de grande colheita de almas para o Senhor Jesus Cristo.


Pr. Cláudio Ely Dietrich Espíndola


PACTO RENOVADO

O marco de um novo tempo para a CBN

Nós, batistas nacionais, reunidos em Luziânia-GO, firmamos o seguinte pacto:
"A visão de Deus para uma igreja está além daquilo que ela pode fazer por suas próprias forças" Josué Campanha

1. Sonho
Sonhamos com uma igreja saudável, centrada em Cristo e na sua Palavra. Frutificando vida e multiplicando a imagem do Senhor Jesus. O cuidado de uns aos outros.

2. Visão
Da unidade do corpo de Cristo. Uma igreja unida sem radicalização, equilibrada na graça, balizada na santidade e operosa na fé. "Andarão dois juntos, se não houver entre eles acordo?" Amós 3:3


3. Hoje
Após trinta e três anos de relevantes serviços prestados ao povo brasileiro por seus líderes, pastores e igrejas, a CBN de um modo geral, sofreu tremendo desgaste e com certeza precisa experimentar um renovo de dentro para fora.

Reconheço que o momento da vida da nossa querida CBN é delicado. Há uma legalidade de desconfiança generalizada gerando desânimo convencional.

O desânimo tem produzido uma retração na participação e nos relacionamentos, produzindo maior divergência naquilo que se espera ter maior convergência.

Por outro lado, observa-se escândalos públicos e notórios: na área da família, na administração financeira e patrimonial das cousas do Senhor; no desrespeito mútuo entre colegas, entre líderes e CBN e ORMIBAN e Igrejas; no desprezo e desobediência aos Pacto Renovado Batista Nacional acordos estabelecidos em estatutos e regulamentos internos. Isto posto, concluo, reconhecer que estamos em pecado. A nação CBN está em pecado.

Gostaríamos de, nesta ocasião extraordinária e muito especial, convidá-los a atender e fazer um chamamento nacional. Atender, porque creio que o Senhor Deus, Ele mesmo e só Ele nos chama em II Crônicas 7:14 e 15: "Se o meu povo, que se chama pelo meu nome, se humilhar, e orar, e me buscar, e se converter dos seus maus caminhos, então, eu ouvirei dos céus, perdoarei os seus pecados e sararei a sua terra. Estarão abertos os meus olhos e atentos os meus ouvidos à oração que se fizer neste lugar". Fazer, nos seus desdobramentos, um chamamento à todo batista nacional a trabalhar pela restauração, reconciliação e unidade dos batistas nacionais.

E, com um coração sarado e saudável, buscarmos a boa, agradável e perfeita vontade de Deus, o renovo do Senhor nos capacitará a ver o que no momento não estamos vendo. Nos conduzirá debaixo da sua nuvem e nos protegerá, e da coluna de fogo nos guiará em segurança e confiança.

NOVO PACTO BATISTA NACIONAL


"Por causa de tudo isso, estabelecemos aliança fiel e o escrevemos; e selaram-na os nossos príncipes, os nossos levitas e os nossos sacerdotes. Os que selaram foram..." Ne.9:38-10:1

4. Perdão
4.1 – Reconhecer Que Pecamos (Neemias 1:4 – 11)
4.2 – Confessar Nosso Pecado (Daniel 9:4,5; Salmo 32 e 38; Provérbios 28:13; I
João 1:9, 10)
4.3 – Arrependimento (Neemias 9; II Crônicas 7:14)
4.4 – Pedir Misericórdia e Perdão a Deus (Salmo 25; Jeremias 3:21-23; Salmo 51)
4.5 – Pedir Perdão e Perdoar Nosso Irmão (João 20:19-23; Mateus 6:12-14; II
Coríntios 2:5-11)

5. Nossa Conduta
5.1 – Respeito - Credibilidade, relação: Doar/Depender (Filipenses 2:1-11;
Romanos 13:1-7) Mutuo entre pastor e colega; Entre pastor e ovelha; Entre pastor e ORMIBAN; Entre
pastor e CBN; Entre Igreja e CBN; Entre CBN, ORMIBAN e outras Instituições, Juntas, Departamentos e vice-versa.
5.2 – Reconciliação
Não falar mal do irmão e etc. (II Coríntios 5:18-6:10)
5.3 – Santidade (II Coríntios 7:1; Efésios 4:25-5:2)
5.4 – Fidelidade (Tito 2:10)
A Deus; A Esposa; A Família; A Igreja; A CBN; A ORMIBAN; A Sociedade; Aos Projetos da CBN e ORMIBAN etc.; Na oração em favor da CBN; Nas contribuições e Plano Cooperativo.

6. Administrativo
6.1 – Prestação de Contas

A) A CBN (através de sua secretaria executiva) apresentará Relatório Financeiro-Contábil (Balancete) mensal e anualmente o Balanço Geral, aos: 1. Membros da Diretoria da CBN; 2. ORMIBAN; 3. CBN's Regionais; 4. Instituições; 5. Juntas; 6. Departamentos;

B) A ORMIBAN, CBN's Regionais, Instituições a nível nacional e regional, Juntas e Departamentos, apresentarão Relatório Financeiro-Contábil (Balancete) mensal e anualmente o Balanço Geral, à Diretoria e à Secretaria Executiva da
CBN;

C) As ORMIBAN's Regionais apresentarão Relatório Financeiro-Contábil (Balancete) mensal e anualmente o Balanço Geral, à Secretaria Executiva da ORMIBAN;

D) As CBN's Regionais apresentarão Relatório Financeiro-Contábil (Balancete) mensal e anualmente o Balanço Geral, às Igrejas Filiadas;

E) Os Relatórios constantes das letras "A" à "D" deverão ser entregues impreterivelmente até o dia 20 do mês subsequente;

F) Os Relatórios constantes das letras "A" à "C" deverão acompanhar de relação discriminativa de Contas á Pagar (fornecedor e vencimento);

G) As Organizações da CBN, a nível nacional, estadual e regional acima citadas não poderão ter sob nenhuma hipótese Despesa maior que a sua Receita;

H) As Organizações da CBN, quando couber repasses, os farão até o dia 20 do mês subsequente, priorizando antes de qualquer outro pagamento, despesa ou gasto;

6.2 – Dívida Externa
A) As Organizações da CBN, que necessitarem suprir recursos para viabilizar projetos, fora das suas disponibilidades de receitas, só o farão com autorização expressa da Diretoria Nacional da CBN;

B) As dívidas existentes neste momento em qualquer organização da CBN, que represente duas vezes a sua receita mensal, serão examinadas pela Diretoria da CBN, como preceitua o art. 54 do Regimento Interno da CBN, fazendo um
exame da origem da mesma e estudo para a sua liquidação, se for necessário até com a venda de seu patrimônio.

6.3 – Dívida Interna
A) As dívidas oriundas da falta de recolhimento do Plano Cooperativo (Redízima ou Dízimo dos Dízimos) por parte da Igreja Local á CBN-Regional; e por sua vez a dívida da falta de repasse da CBN-Regional á CBN-Nacional até 31.12.
2000 ficam perdoadas;

B) As dívidas oriundas da f alta de recolhimento da Anuidade dos Pastores à ORMIBAN-Secional, bem como a dívida pela falta de pagamento do repasse da Secional á ORMIBAN-Nacional até 31.12.2000 ficam perdoadas;

6.4 – Oferta de Amor
A) Diante do perdão, as Igrejas, as CBN's Regionais, poderão levantar uma oferta de amor para atender as necessidades emergenciais da rotina administrativa da CBN-Nacional;

B) O mesmo procedimento em relação á ORMIBAN-Nacional os Pastores e as Secionais, poderão levantar uma oferta de amor para atender as necessidades emergenciais da rotina administrativa.
"A Igreja de visão é aquela que avalia o passado, vive o presente, mas pensa no futuro". Josué Campanha

7. Futuro
7.1 – Repensar
A) Os Elementos Fundamentais: De Nossa Eclesiologia; De Nossa Pragmática; De Nosso Culto; De Nossos Usos e Costumes; De Nosso Sistema Teológico e de Formação de Ministros do Evangelho; De Nossas Organizações
Internas, Auxiliares e Externas. Considerando o nosso momento histórico, o desfigurado modelo praticado hoje, e o contexto da Igreja Brasileira e Mundial, se faz necessário repensar e buscar o modelo mais adequado e harmônico para a realidade de hoje. Nosso Manual Básico precisa ser revisado no que tange a esses elementos.

B) Grupos de Trabalho: Para repensar e revisar o exposto no item anterior serão criados Grupos de Trabalho, tantos quantos necessários para promover uma ampla discussão pelos canais competentes, e após o que, a Diretoria da CBN
examinará os relatórios de cada Grupo de Trabalho e organizará uma proposta final.

7.2 – Planejamento Estratégico
Para uma maior integração e unidade de nossa CBN, é prudente e necessário um Plano Estratégico Integrado. Que contemple um tempo de Curto, Médio e Longo prazo. Buscando através de seus executivos, exaustivas considerações e elementos que comporão esse plano.
"Não basta ter uma idéia clara de onde ir, mas principalmente de como ir" Josué Campanhã

Nós, participantes do Conplex da CBN e diretoria da Ormiban, firmamos e assinamos o pacto acima.


Clique aqui para baixar o Pacto Renovado em pdf.

 

Ao renovarmos o nosso pacto Batista Nacional, assumimos o compromisso abençoado de caminhar juntos em total sincronia com os princípios que alimentaram os nossos sonhos.

Caminhar unidos requer o exercício de atitudes e sentimentos elevados. Requer a decisão definitiva e inquebrável de sustentar nossa identidade.

Caminhar juntos exige maturidade e desprendimento para se abrir mão de projetos e até mesmo sonhos pessoais em benefício do todo.

O projeto desta logomarca foi criado para fortalecer e preservar nossa identidade. Ela é nossa assinatura.

 A marca da CBN engloba os elementos fundamentais: avivamento, missões, integração e união.

1

 
Chamas = poder de Deus, avivamento, fogo do Espírito Santo, santificação.

2

 
Representação do globo. O mundo. Nele está inserido o Brasil.

3

Blocos diferentes, unidos, formando um só corpo. Unidade na diversidade. 

4

Formas geométricas que parecem parêntesis indicando união, reunião. A força da integração e cooperação. 

5

Objeto da união, motivo. Isolados podemos ser fortes, mas juntos podemos mais.

6

Clique aqui para baixar o arquivo da logomarca.

presidentesHBN1Primeira Assembléia — Data: Setembro/1967
Local: Igreja Batista da Lagoinha – Belo Horizonte - MG
Orador Oficial: Dalson Pinto Teixeira 
Diretoria:
Pres.: Elias Brito Sobrinho 
1º Vice: Joel Ferreira 
2º Vice: Rosivaldo de Araújo 
1º Sec.: Nivaldo Ferreira da Silva
2º Sec.: Dalson Pinto Teixeira 
Secr.Ex. Ilton Quadros


presidentesHBN11

Segunda Assembléia — Data: Janeiro/1969
Local: Teatro Santa Izabel – Recife - PE
Orador Oficial: Enéas Tognini
Diretoria:
Pres.: Renê Pereira Feitosa
1º Vice: Natalício Martins
2º Vice: Jesuá Gonçalves da Costa
1º Sec.: Eclésio Menezes de Lima
2º Sec.: Wilton de Araújo Sampaio
Secr.Ex. Ilton Quadros


presidentesHBN10

Terceira Assembléia — Data: Janeiro/1970
Local: 4a Ig. Batista de Goiânia - GO
Orador Oficial: Rosivaldo de Araújo
Diretoria:
Pres.: Antônio Barbosa Lima
1º Vice: Renê Pereira Feitosa
2º Vice: Elias Brito Sobrinho
1º Sec.: Wilton de Araújo Sampaio
2º Sec.: Reuel Pereira Feitosa
Secr.Ex. Ilton Quadros


presidentesHBN9

Quinta Assembléia — Data: Janeiro/1972
Local: Colégio Estadual de Curitiba - PR
Orador Oficial: Rosivaldo de Araújo
Diretoria:
Pres.: Rosivaldo de Araújo
1º Vice: Antônio Barbosa Lima
2º Vice: Gilberto Viegas Fernandes
1º Sec.: Benjamim Maia
2º Sec.: Márcio Valadão
Secr.Ex. Ilton Quadros

 

presidentesHBN7Sexta Assembléia — Data: Janeiro/1974
Local: Assembléia de Deus C.de S.Cristóvão –RJ
Orador Oficial: Antônio Cupelo
Diretoria:
Pres.: Renê Pereira Feitosa
1º Vice: Elias Brito Sobrinho
2º Vice: Dalson Pinto Teixeira
1º Sec.: Benjamim Maia
2º Sec.: José Basílio de Souza
Secr.Ex. Ilton Quadros



 

presidentesHBN8Sétima Assembléia — Data: Janeiro/1975
Local: Ig. Batista do Largo da Paz – Recife - PE
Orador Oficial: Antônio Barbosa Lima
Diretoria:
Pres.: Eclésio Menezes de Lima

1º Vice: Antônio Barbosa Lima
2º Vice: Gerson Vilas Boas
1º Sec.: Benjamim Maia
2º Sec.: Aluísio Laurindo da Silva
Secr.Ex. Ilton Quadros

 

Oitava Assembléia — Data: Janeiro/1976
Local: Escola Técnica Federal – Vitória - ES
Orador Oficial: Djair da Silva Guerra
Diretoria:
Pres.: Eclésio Menezes Lima

1º Vice: Antônio Barbosa Lima
2º Vice: Severino Vilarindo Lima
1º Sec.: Benjamim Maia
2º Sec.: Aluísio Laurindo da Silva
Secr.Ex. Ilton Quadros

Nona Assembléia — Data: Julho/1977
Local: Assembléia de Deus - Brasília – DF
Orador Oficial: Aluísio Laurindo da Silva
Diretoria:
Pres.: Renê Pereira Feitosa

1º Vice: Rosivaldo de Araújo
2º Vice: Darci Guilherme Reis
1º Sec.: José Carlos Gomides Pezzotti
2º Sec. Antonio Carlos Vitorino dos Santos
Secr.Ex. Rosivaldo de Araújo

Décima Assembléia — Data: Julho/1979
Local: Inst. de Educação de Goiânia - GO
Orador Oficial: Eclésio Menezes de Lima
Diretoria:
Pres.: Eclésio Menezes de Lima
1º Vice: Edvaldo Fernandes Cardoso
2º Vice: Artur de Sousa Freire
1º Sec.: Aluísio Laurindo da Silva
2º Sec.: D. Lílian M.Barbosa Lima
Secr.Ex. Rosivaldo de Araújo

Décima Primeira Assembléia — Data: Janeiro/1981
Local: Esc.Est.Antônio Raposo Tavares, Osasco - SP
Orador Oficial: Edvaldo Fernandes Cardoso
Diretoria:
Pres.: Eclésio Menezes de Lima
1º Vice: Antônio Barbosa Lima
2º Vice: Renê Pereira Feitosa
1º Sec.: Lílian Manhães Barbosa Lima
2º Sec.: Rilves Nascimento
Secr. Ex. Rosivaldo de Araújo

presidentesHBN6Décima Segunda Assembléia — Data: Janeiro/1983
Local: Instituto Granbery, Juiz de Fora – MG
Orador Oficial: Rosivaldo de Araújo
Pres.: Enéas Tognini
1º Vice: Eclésio Menezes de Lima
2º Vice: Joel Ferreira
3º Vice: Renê Pereira Feitosa 
1º Sec.: Aluísio Laurindo da Silva
2º Sec.: Josafá Eugênio Barbalho
3º Sec.: Delvedque Moraes do Nascimento
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas

Décima Terceira Assembléia — Data: Janeiro/1985
Local: Salão de Atos da PUC – Porto Alegre – RS
Orador Oficial: Renê Pereira Feitosa
Diretoria:
Pres.: Enéas Tognini
1º Vice: Samuel Dietrich Espíndola
2º Vice: Renê Pereira Feitosa
1º Sec.: Delveque Moraes do Nascimento
2º Sec.: Josafá Eugênio Barbalho
3º Sec.: Nádia Fraga Vilas Boas
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas


Décima Quarta Assembléia — Data: Janeiro/1987
Local: Ginásio Cláudio Coutinho - Brasília – DF
Orador Oficial: Etevaldo Rocha Tristão
Diretoria:
Pres.: Enéas Tognini
1º Vice: Djair da Silva Guerra
2º Vice: Samuel Dietrich Espíndola
3º Vice: Ilton Quadros Cordeiro
1º Sec.: Delveque Moraes do Nascimento
2º Sec.: Nádia Fraga Vilas Boas
3º Sec.: Josafá Eugenio Barbalho
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas


Décima Quinta Assembléia — Data: Janeiro/1989
Local: Ig. Batista da Lagoinha – Belo Horizonte
Orador Oficial: Samuel Espíndola, substituído por Wilton Sampaio
Diretoria: Pres. Enéas Tognini
1º Vice: Djair da Silva guerra
2º Vice: Severino Vilarindo Lima
3º vice: Antenor Lourenço
1º Sec.: Delveque Moraes do Nascimento
2º Sec.: Nádia Fraga Vilas Boas
3º Sec.: Daniel Heliodoro Santana Neto
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas


Décima Sexta Assembléia — Data: Janeiro/1991
Local: Igreja Batista Central de Brasília - DF
Orador Oficial: Edmar Vaz Andrade
Diretoria: Pres. Enéas Tognini
1º Vice: Severino Vilarindo Lima
2º Vice: Samuel D. Espíndola
3º Vice: Aluísio Laurindo da Silva
1º Sec.: Delveque Moraes do Nascimento
2º Sec.: Nádia Fraga Vilas Boas
3º Sec.: Darci Guilherme dos Reis
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas


Décima Sétima Assembléia Geral — Data: Janeiro/1993
Local: Ig. Batista da Lagoinha – Belo Horizonte - MG
Orador Oficial: Djair da Silva Gerra
Diretoria: Pres.: Enéas Tognini
1º Vice: Aluísio Laurindo da Silva
2º Vice: Severino Vilarindo Lima
3º Vice: Joel Ferreira
1º Sec.: Darci Guilherme Reis
2º Sec.: Naim de Abreu e Silva Leite
3º Sec.: Edmilson Vila Nova
Secr.Ex. Gerson Vilas Boas

presidentesHBN4Décima Oitava Assembléia Geral — Data: Janeiro/1995
Local: Ig. Batista Central de Brasília - DF
Orador Oficial: Adriano Augusto Magalhães de Castro
Pres. Daniel Leite Fonseca
1º Vice: Severino Vilarindo Lima
2º Vice: Samuel Dietrich Espíndola
3º Vice: Delveque Morais do Nascimento
1º Sec.: José Carlos da Silva
2º Sec.: José Maria Moreira Cavalcanti
3º Sec.: Mozart Gomes de Morais
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

Décima Nona Assembléia Geral — Data: Janeiro/1997
Local: Ig. Batista Nova Canaã de Betim – MG
Orador Oficial: Paulo César Meira Lima Nascimento
Diretoria:
Pres.: Daniel Leite Fonseca
1º Vice: Severino Vilarindo Lima
2º Vice: Joel Ferreira
3º Vice: Delveque Morais do Nascimento
1º Sec.: José Carlos da Silva
2º Sec.: Darci Guilherme Reis
3º Sec.: Lourença Ferreira do Carmo de Oliveira
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

presidentesHBN3Vigésima Assembléia Geral — Data: Janeiro/1999
Local: Recife – PE
Orador Oficial: Pr. Jorge Luís Coelho Linhares
Pres.:Enéas Tognini 
1º Vice: Severino Vilarindo Lima
2º Vice: Paulo Hortencio Alves Pererira
3º Vice: Joel Ferreira
1º Sec.: José Carlos da Silva
2º Sec.: Lourença Ferreira do Carmo de Oliveira
3º Sec.: Eder José de Melo e Silva

Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

Vigésima Primeira Assembléia Geral — Data: Janeiro/2001
Local: Vitória – ES
Orador Oficial: Enéas Tognini
Diretoria: Pres.: Cláudio Ely Dietrich Espíndola
1º Vice: Benjamim Scheidegger de Almeida
2º Vice: Enéas Tognini 
3º Vice: Edmar Vaz Andrade
1º Sec.: Eder José de Melo e Silva
2º Sec.: Cláudio Giomar de Lima
3º Sec.: Lourença Ferreira do Carmo de Oliveira
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campo
s

presidentesHBN2

Vigésima Segunda Assembléia Geral — Data: Julho/2003
Local: Palmas – TO
Orador Oficial: Alemu Beeftu
Pres.: Cláudio Ely Dietrich Espíndola
1º Vice: Edson de Sousa Quinezi 
2º Vice: Élson Alípio
3º Vice: Edmar Vaz Andrade
1º Sec.: José Carlos da Silva
2º Sec.: Cláudio Giomar de Lima
3º Sec.: Marco Aurélio de Oliveira
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

Vigésima Terceira Assembléia Geral — Data: Julho/2005
Local: Maringá – PR
Orador Oficial: José Rego do Nascimento Filho
Diretoria:
Pres.: Cláudio Ely Dietrich Espíndola
1º Vice: Edson de Sousa Quinezi
2º Vice: Edmar Vaz Andrade
3º Vice: Wellington Coelho de Sousa
1º Sec.: Marco Aurélio de Oliveira
2º Sec.: Paulo César Santos
3º Sec.: Euler de Oliveira Lousada
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

josecarlosVigésima Quarta Assembleia Geral — Data: Julho/2007
Local: Igreja Batista Filadélfia Taguatinga – Brasília -DF
Diretoria:
Pres.: José Carlos da Silva
1º Vice: Marco Aurélio de Oliveira
2º Vice: Wellington Coelho de Souza
3º Vice: Cláudio Giomar de Lima
1º Sec.: Paulo Cesar dos Santos
2º Sec.: Róbson Júnior da Silva
3º Sec.: Revelino José dos Santos
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

Vigésima Quinta Assembleia Geral — Data: Julho/2009
Local: Manaus / AM
Diretoria:
Pres.: José Carlos da Silva
1º Vice: Marco Aurélio de Oliveira
2º Vice: Samuel Dietrich Espíndola
3º Vice: Wellington Coelho de Souza
1º Sec.: Róbson Júnior da Silva
2º Sec.: Cláudio Giomar de Lima
3º Sec.: Genelício Esteves da Rocha
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

 

Vigésima Sexta Assembleia Geral — Data: Julho/2011
Local: Aracajú - SE
Diretoria:
Pres.: José Carlos da Silva
1º Vice: Róbson Júnior da Silva
2º Vice: Edmilson Vila Nova
3º Vice: Cláudio Ely Dietrich Espíndola
1º Sec.: Telma Molina Cintra Batista
2º Sec.: José de Arimatéia Beirão Filgueiras
3º Sec.: Pr Jorge Luis Borges Menezes
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

 

edmilsonVigésima Sétima Assembleia Geral — Data: Julho/2013
Local: Águas de Lindóia
Diretoria:
Pres.: Edmilson Vila Nova
1º Vice: Eder José de Melo
2º Vice: Rapahel Daroz de Almeida
3º Vice: Cláudio Giomar de Lima
1º Sec.: José de Arimatéia Beirão Filgueiras
2º Sec.: Pr Jorge Luis Borges Menezes
3º Sec.: Sandro Aurélio Batista
Secr.Ex. Lucy-Mar de Almeida Campos

 

capapgmanual

INTRODUÇÃO

PARTE I - INSTITUCIONAL 

Poderes Diretivos e Representativos
Estatuto da CBN
Regimento Interno da CBN
Estatuto da ORMIBAN
Estatuto da LERBAN
Estatuto da JAMI
Estatuto do STEB
Regras Parlamentares
Princípios e Diretrizes para o Processos Eletivos
Nossa Logo Marca
Declaração de Elegibilidade 

PARTE II - RELATÓRIOS

PRESIDÊNCIA DA CBN

  Relatório de Atividades 2013 e 2015

 SECRETARIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO DA CBN

  Relatório de Atividades e Financeiro 2013 e 2014
  Relações de Igrejas e Contribuição 2013 e 2014

SECRETARIAS DA CBN

 SECOM - Secretaria de Comunicação
  SEDELIM - Secretaria de Desenvolvimento de Liderança de Ministérios
  REDEMI - Rede de Missão Integral- Secretaria de Responsabilidade Social
  SENAM - Secretaria Nacional de Missões

DEPARTAMENTOS DA CBN

  UEMBN - União Masculina Batista Nacional 
  UEFBN - União Evangelizadora Feminina Batista Nacional
  JUBAN - Juventude Batista Nacional

ORGÃOS E INSTITUIÇÕES

  STEB - Seminário Teológico Evangélico do Brasil
  JAMI - Junta Administrativa de Missões
  LERBAN - Livraria e Editora Renovação Batista Nacional
  ORMIBAN - Ordem dos Ministros Batistas Nacionais

PARTE III -PLANEJAMENTOS

PARTE IV -DELIBERAÇÕES DA ASSEMBLEIA

 

Versão completa para impressão

ESTATUTO DA CONVENÇÃO BATISTA NACIONAL

CAPÍTULO I
DA DENOMINAÇÃO, FINS E SEDE


Art. 1º. A Convenção Batista Nacional, também designada pela sigla CBN, é uma organização religiosa,federativa, sem fins lucrativos; fundada em 16 de setembro de 1967, por tempo indeterminado, por iniciativa de igrejas batistas, que têm Jesus Cristo como Senhor e Salvador e crêem na doutrina do batismo no Espírito Santo, no exercício dos dons espirituais, decididas a se unirem pelo vínculo da fé para buscar sempre o genuíno avivamento espiritual, proclamar o Evangelho, fazer discípulos e promover o Reino de Deus através do compromisso de fidelidade doutrinária e cooperação com seu programa denominacional.

Art. 2º. A CBN é constituída das igrejas batistas nacionais a ela filiadas na forma regimental, e tem por sede e foro a cidade de Brasília – DF.

Parágrafo Único. As igrejas filiadas, bem como os seus representantes, não respondem, nem mesmo
subsidiariamente, pelas obrigações da CBN.

Art. 3º – A CBN tem por finalidade ser agência facilitadora das igrejas a ela filiadas, contribuindo para que cumpram seus objetivos, de modo a transformar a sociedade pelo cumprimento da missão integral da igreja, no poder do Espírito Santo, desenvolvendo a educação secular e teológica, ação missionária, discipulado e responsabilidade social, tendo em vista a promoção do Reino de Deus, e:
I - servir as igrejas que com ela cooperam de acordo com seus objetivos fundamentais;
II - planejar, coordenar e administrar o programa cooperativo que com as igrejas mantém;
III - contribuir para aperfeiçoar, aprofundar e ampliar ações de evangelismo, discipulado, crescimento de igrejas, desenvolvimento de ministérios, missões nacionais e transculturais visando o crescimento do Reino de Deus no mundo;
IV - buscar todos os meios legítimos para manter a unidade do povo batista nacional e a chama do
avivamento espiritual.

Parágrafo Único. Para o cumprimento de sua finalidade, a CBN contará com:
a) Convenções Batistas Nacionais nas respectivas unidades da Federação (CBE's);
b) órgãos e instituições criados na forma regimental.

Art. 4º. As igrejas batistas nacionais têm como base da sua doutrina e regra de fé e prática unicamente a
Bíblia Sagrada e adotam o Manual Básico dos Batistas Nacionais e seu Pacto de Fé.

Art. 5º. É dever da CBN pugnar por todos os meios possíveis pela unidade das igrejas e suas respectivas CBE's, não medindo esforços para mantê-las coesas e unidas.


CAPÍTULO II
DOS ÓRGÃOS DELIBERATIVOS E ADMINISTRATIVOS


Art. 6º. A CBN será administrada pelos seguintes órgãos:

I - Assembléia Geral - AG;
II - Diretoria;
III - Conselho Nacional de Planejamento e Execução – Conplex;
IV - Secretaria Geral de Administração.

Parágrafo Único. Para cumprimento de suas finalidades gerais a CBN, através do Conplex, criará e contará com órgãos, instituições e outros, nos termos regimentais.


SEÇÃO I
DA ASSEMBLÉIA GERAL – AG

Art. 7º. A Assembléia Geral da CBN é seu órgão soberano, composta nos termos regimentais, por:
I - delegados credenciados pelas CBE's;
II - representantes credenciados pelas igrejas filiadas;
III - pastores regularmente inscritos na Ormiban.


SEÇÃO II
DA DIRETORIA

Art. 8º. A Diretoria da CBN é constituída de um Presidente, 03 (três) Vice-Presidentes e 03 (três)
Secretários, eleitos por maioria absoluta da Assembléia Geral, com mandato de 02 (dois) anos, podendo ser
reeleitos para até mais dois mandatos consecutivos.

§ 1º – O início do mandato da Diretoria será definido pela Assembléia Geral que a eleger.
§ 2 – A Diretoria da CBN não recebe remuneração a qualquer título.

Art. 9º. Compete à Diretoria da CBN, reunida quadrimestralmente ou extraordinariamente quando necessário, além de outras atribuições que lhe forem conferidas:

I - cumprir e fazer cumprir este Estatuto e o Regimento Interno da CBN;
II - elaborar programa provisório da AG;
III - homologar a indicação do Secretário Executivo;
IV - supervisionar a execução dos programas e orçamentos da CBN;
V - supervisionar o desenvolvimento das atividades da Secretaria Geral de Administração, fazendo as correções necessárias para o fiel cumprimento das deliberações da AG e do Conplex;
VI - aprovar os relatórios da Secretaria Geral de Administração a serem apresentados ao Conplex;
VII - dar parecer ao Conplex sobre homologações previstas no Estatuto e Regimento Interno;
VIII - solucionar problemas emergenciais da CBN, CBE's, órgãos e instituições;
IX - resolver conflitos existentes nas CBE's e demais órgãos e instituições da CBN, sempre que necessário.

Parágrafo Único. A Diretoria poderá buscar nos quadros da CBN e dentre os membros das igrejas filiadas, assessores qualificados para questões técnicas ou jurídicas.

Art. 10. São atribuições do Presidente:

I - representar a CBN ativa, passiva, judicial e extra judicialmente;
II - convocar e presidir as reuniões da diretoria, da AG e do Conplex;
III - exercer o voto de qualidade;
IV - indicar o Secretário Executivo;
V - assinar, juntamente com o Secretário Executivo, documentos de aquisição, venda, alienação e gravame de bens patrimoniais por decisão do Conplex;
VI - participar como membro ex-ofício nas entidades da CBN;
VII - convocar, quando necessário, a diretoria da CBN, o presidente e executivos dos órgãos e instituições para tratar de assuntos de interesse geral da denominação ou ainda, pedir esclarecimentos sobre seus procedimentos, apresentando, se necessário, o caso ao Conplex para análise e decisão;
VIII - informar aos Vice-Presidentes assuntos ou problemas concernentes ao exercício da função;
IX - executar as demais tarefas inerentes ao cargo.

Art. 11. São atribuições dos Vice-Presidentes:

I - substituir o presidente em seus impedimentos ocasionais, observada a ordem de sucessão;
II - assumir a presidência em caso de vacância;
III - auxiliar o presidente quando solicitado.

Art. 12. Compete aos Secretários:
I - assistir ao Presidente em todas as reuniões da Diretoria, da AG e do Conplex;
II - lavrar atas das reuniões da diretoria, da AG e do Conplex;
III - substituir o Presidente em seus impedimentos ocasionais, observada a ordem de sucessão;
IV - conferir o quorum para instalação das Assembléias e reuniões do Conplex, e apurar votos.


SEÇÃO III
DO CONPLEX


Art. 13. O Conselho Nacional de Planejamento e Execução – Conplex é o órgão responsável pelo planejamento, coordenação, execução e fiscalização das atividades da CBN, nos termos regimentais, constituindo-se dos seguintes membros:

I - Diretoria da CBN;
II - Secretário Executivo da CBN;
III - Presidente e Secretário Executivo da Ormiban;
IV - Presidentes das CBE's ou seus substitutos;
V - Presidentes das Ormiban's regionais, ou seus substitutos;
VI - um representante de cada instituição, órgão ou outros que forem criados pelo Conplex;
VII - 06 (seis) vogais, eleitos na Assembléia Geral, sendo três leigos e três pastores.

Art. 14. O Conplex se reunirá ordinariamente na segunda quinzena do mês de abril, e extraordinariamente quando necessário, convocado com antecedência mínima de 15 (quinze) dias, constando da convocação extraordinária a pauta dos assuntos.

Parágrafo Único. O Conplex se reunirá em primeira convocação com maioria simples de seus membros, e em segunda convocação trinta minutos após, com no mínimo 1/5 (um quinto) de seus membros.


SEÇÃO IV
DA SECRETARIA GERAL DE ADMINISTRAÇÃO


Art. 15. A Secretaria Geral de Administração é o órgão responsável pela execução do programa e decisões da Assembléia Geral e do Conplex, em trabalho conjunto com as igrejas, órgãos e instituições, estabelecendo a visão e o planejamento estratégico denominacional, na forma regimental.

Art. 16. O Secretário Executivo da CBN é o administrador do patrimônio, exerce as funções de tesoureiro e é responsável por movimentar as contas bancárias, assinar isoladamente cheques e documentos contábeis e fiscais em nome da CBN.

Parágrafo único. O Secretário Executivo será empossado pela Diretoria para mandato concomitante
com a Diretoria que o homologar.


SEÇÃO V
DO CONSELHO FISCAL


Art. 17. O Conselho Fiscal é o órgão fiscalizador das finanças e contabilidade da CBN, composto de 01(um) relator, 02 (dois) vogais e 03 (três) suplentes, um deles com habilitação na área, eleitos e empossados pela Assembléia Geral.

Parágrafo Único. O Conselho Fiscal se reunirá a cada três meses para avaliar a contabilidade da CBN e prestará parecer, através de seu relator:

a) ao Conplex, anualmente;
b) a Assembléia Geral;
c) quando solicitado pela Diretoria.


CAPÍTULO III
DAS FONTES DE RECURSO PARA SUA MANUTENÇÃO


Art. 18. A Convenção Batista Nacional será mantida através de contribuições recebidas das igrejas filiadas (Plano Cooperativo), convênios, receitas advindas de eventos convencionais e ofertas oriundas de pessoas físicas ou jurídicas, desde que sua procedência seja moralmente aceita e legalmente comprovada.

Art. 19. O patrimônio da CBN será formado de valores, imóveis, móveis e semoventes, adquiridos por quaisquer formas permitidas em direito. É também considerado patrimônio da CBN seus documentos, relatórios, memórias magnéticas, imagens de suas assembléias ou reuniões, não podendo ser reproduzidos ou projetados para divulgação pública sem a prévia autorização da Diretoria da CBN.

Art. 20. A CBN é proprietária dos bens pertencentes a seus órgãos e legítima sucessora do patrimônio de suas instituições teológicas, assistenciais, missionárias, educacionais e outras, e das Convenções Batistas Nacionais Estaduais em caso de dissolução ou mudança de finalidade para as quais foram criadas.

Art. 21. Nenhuma igreja filiada ou doador receberá ressarcimento de contribuições ou doações feitas à CBN
para consecução de seus fins e programas.


CAPÍTULO IV
DAS CONDIÇÕES PARA REFORMAS ESTATUTÁRIAS E DISSOLUÇÃO DA CONVENÇÃO


Art. 22. O presente Estatuto poderá ser reformado por encaminhamento da AG ou do Conplex, em Assembléia Geral convocada para tal fim, na forma regimental.

§ 1º – Para instalação, em primeira convocação, a AG deverá contar com delegados credenciados pelas CBE's em número correspondente a 2/3 (dois terços) do total possível e, em segunda convocação, uma hora após por número correspondente a maioria simples, além de pastores inscritos na Ormiban e representantes credenciados pelas igrejas filiadas.
§ 2º – A reforma deste Estatuto se dará mediante voto favorável de 2/3 (dois terços) dos presentes.
§ 3º – Em hipótese alguma serão apreciadas propostas de reforma estatutária que visem revogar, alterar ou desvirtuar de qualquer forma a profissão de fé expressa no Art. 1º deste Estatuto, no tocante ao batismo no Espírito Santo e na atualidade de dons espirituais.

Art. 23. A CBN somente poderá ser dissolvida em Assembléia Geral Extraordinária, convocada para este fim, observado o quorum mínimo de 2/3 (dois terços) dos delegados enviados pelas CBE's, conforme Art. 7, destinando-se, neste caso, o seu patrimônio, à Sociedade Bíblica do Brasil.

Parágrafo Único. A extinção da CBN deverá ter voto unânime dos inscritos.


CAPÍTULO V
DISPOSIÇÕES GERAIS E TRANSITÓRIAS


Art. 24. Os casos omissos neste estatuto serão resolvidos pelo Conplex "ad referendum" da Assembléia
Geral.
Art. 25. As Convenções Batistas Nacionais Estaduais e as Instituições da CBN terão 12 (doze) meses para
adaptarem os seus estatutos e regimentos internos ao que dispõe o Estatuto e Regimento Interno da CBN.
Art. 26. Este Estatuto entra em vigor na data de sua aprovação, revogadas disposições em contrário.

Itatiaia, Julho de 2004.

Pr. Cláudio Ely Dietrich Espíndola
Presidente da CBN

Pr. José Carlos da Silva
1º Secretário